Sobre leitura #01 - Um livro chama outro livro

quarta-feira, janeiro 25, 2017





















A maioria das pessoas com quem já conversei sobre como elas adquiriram o hábito da leitura, contam uma história parecida. Em algum momento da vida se depararam com um livro que as encantaram, que proporcionou-lhes uma experiência nova, marcante, diferente... e a partir daí elas procuraram por outros livros buscando repetir aquele feito.

Essa procura pode ser por outras obras daquele mesmo autor já lido e tão apreciado, por livros daquele gênero (romance, fantasia, ficção cientifica, não ficção, biografias...), pelo tema, por aquele período histórico... Enfim, a verdade é que a leitura de um bom livro "geralmente" vai levar-nos a leitura de outros livros.

Mesmo lendo a muitos anos já e sempre com listas pré-definidas de intenções de leitura, eu continuo experimentando esse ciclo. Sempre que um livro me chama atenção seja pela narrativa, tema, gênero etc etc, acabo chegando através dele a outros livros, que se forem bons, me levarão a outros...

Para exemplificar, a pouco tempo li "As catacumbas de Roma" de Benjamim Scott - uma releitura na verdade - um livro muito bom que me levou há duas de minhas leituras atuais. Em determinado capítulo em que Scott defende o Jesus histórico parei para meditar na relevância daquele assunto e me lembrei de um título que já estava na minha estante há algum tempo "Em defesa de Cristo (Lee Strobel)". Após uma folheada ou uma leitura inspecional  - como chamou Adler - confirmei que realmente o assunto era interligado e comecei a ler. Por um motivo diferente, mas partindo do mesmo livro, comecei a ler também "O mártir das catacumbas (autor anônimo)" que é uma ficção cristã escrita sob o contexto da igreja primitiva, sua perseguição e as catacumbas. Muito interessada na temática desse último, já estou pensando em ler o clássico "O livro dos mártires, de John Fox". E assim vamos indo...

Um livro chama outro livro e de um livro ao outro, o hábito de ler vai sendo formado quase naturalmente. "Quase" porque não se pode pensar que para a leitura não seja necessário esforço e empenho. Tudo vai depender por fim, se ler ou ler mais é realmente o que se pretende fazer.


*Crédito imagem

Kelly Oliveira B.

2 comentários:

  1. Concordo que para quem é marcado por uma leitura, um livro chama outro livro, embora não me lembre de quando comecei a gostar de ler, pois sempre me lembro de apreciar livros desde que comecei a saber ler, mas também sou filho e neto de leitores compulsivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos, penso que para o hábito da leitura ser mais arraigado, o ideal é já começar na infância, comigo também foi assim.

      Legal saber que você pertence a uma família de leitores.

      Abs.

      Excluir

Deixe seu comentário! Vamos trocar ideias ;)

Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.