Feminismo, o que é? É rebeldia contra Deus.

quinta-feira, outubro 22, 2015



Feminismo, o que é?
É rebeldia contra Deus.
Oh maldito pecado enganoso.

As feministas disseram: “Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas, libertemo-nos de Deus, libertemo-nos da liderança masculina estabelecida pelo Altíssimo que nos é prejudicial. Tomemos as rédeas de nossa vida conforme o desejo de nossos corações, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre da feminilidade autônoma, cujo topo chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome”.

Mas Deus é Sábio, Santo, Justo e Bom. Ele viu fragilidade da mulher. Ele a criou assim. Ele a preparou como expressão de sua amada Noiva, a Igreja. Ela é delicada, meiga, suave, frágil, que busca proteção em seu defensor, o marido, que é expressão de Cristo. Ele é forte, corajoso, cheio de amor. Ele se dispõe até a morrer por ela. Ele a defende.

Mas o Feminismo em sua rebeldia rompeu esta bela cena. Desafiou o Altíssimo, difamou o protetor, o marido, enganou as mulheres privando-as de seu defensor. Promoveu o mal em nome de um suposto bem libertador.

Mas isto é o pecado. É odiar a Deus e ao próximo. É negar o Sumo Bem em nome de um falacioso bem. É proclamar o amor, mas promover o ódio. É anunciar a libertação, mas gerar a decepcionante escravidão. É assim desde o Éden. É sempre assim.

Oh maldito pecado enganoso!

As feministas deram as mulheres uma vida autônoma. Autonomia de Deus. Agora elas estão autonomamente sozinhas, sem proteção. As frágeis estão sem o protetor, pois aos homens deu o Feminismo a inadequação. Eles não sabem mais o que são. Tornaram-se covardes, sem liderança.

Oh maldito pecado enganoso!

Mas as feministas avançaram mais em suas rebeldias. Ora, o pecado é como a sepultura que nunca diz: Basta! Assim as feministas disseram: “Queremos mais liberdade, mais liberdade... Liberdade, liberdade” e, então, “Liberdade para matar. Aborto, aborto, é nosso direito”.

Oh maldito pecado enganoso!

Oh pecador, se não amas a Deus não podes amar ao próximo. Se não tens o Sumo Bem, não promoverás nenhum bem. Oh, as feministas prometeram-nos o bem social, mas nos legaram toda a sorte de males. Eis o abandono das mulheres, eis o divórcio, eis o aborto, eis a morte aos milhões. É assim desde o Éden.

Oh maldito pecado enganoso! Oh rebeldia a Deus! Oh destruição dos homens! É assim desde o Éden. Sereis como Deus, mas Caim matou Abel. Mulheres sereis livres, mas então morte aos milhões.

Mas oh bendita graça libertadora, graça de Deus em Cristo, graça que liberta do pecado, graça que liberta do Feminismo!

Então as mulheres entendem seu papel. Então os homens assumem o seu. Então ambos se submetem a Deus. Então Cristo e a Igreja são novamente mostrados no Casamento: O Noivo ama sua Noiva e a defende até a morte. A noiva se submete ao noivo, pois o vê como seu amável protetor.

É assim que o bem é promovido, pois onde Deus é amado há delícias e toda sorte de benesses: Amor proteção, submissão, vida, A GLÓRIA DO SENHOR NO EVANGELHO. 
Amém!


Fonte: Manoel Coelho Junior, Ebook: Uma análise Bíblica do Feminismo, 2015; Publicado pelo website oEstandarteDeCristo.com, com a graciosa permissão do autor :)

Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.