Não é sobre nós


Há algo que queima no meu coração esta semana: não é sobre nós! Tenho reflectido na forma como – na vida – já experimentei diferentes ciclos e enfrentei diferentes cenários em apenas 23 anos. Por vezes, chego a um ponto de exaustão, como se a sensação fosse de quem já viveu uma vida longa. Mas, na verdade, ainda agora comecei.

Aprender sobre a vida cristã leva-me a pensar que só é possível vivê-la… vivendo. O caminho torna-se árduo, por vezes parece que a estrada da vida só tem pedras e que os nossos sapatos não são suficientemente bons para aguentar a jornada. Somos levados a pensar que o melhor seria parar ou voltar para trás, para o conforto. Ou então, na pior das hipóteses, continuar a caminhada de cabeça baixa tendo presente na memória as marcas do passado, sem olhar para frente, ansiosos e desanimados pelo que reserva o futuro.

Aqui, chegamos a uma conclusão (deste primeiro pensamento): não fomos criados para nos perpetuarmos no conforto, mas sim a sermos levados ao confronto. E é aí que nos deparamos com a verdade. Assim, a vida passa a ter sentido e a autocomiseração não fará parte do nosso carácter. Reparem: quando conhecemos a verdade, ela liberta-nos de velhos hábitos, velhos pensamentos e velhos comportamentos – “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará” (João 8:32) –, então nós começamos a ter o reflexo de que estas coisas passadas são deixadas, e que devemos prosseguir para a novidade – “(…) mas concentro todos os meus esforços nisto: esquecendo-me do passado e olhando para o que está adiante.” (Filipenses 3:13).

Meditando nessas coisas, entendi que não temos que viver presos ao passado, nem pensar que o mesmo irá determinar o nosso futuro. Conforme a vida vai passando, conforme vamos sendo aperfeiçoados nEle, uma história está a ser escrita no nosso tempo, mas ela já fora planeada antes da fundação do mundo. E o mais interessante? É que nós não somos a personagem principal, mas Ele é!

Deste modo, entendo que não nos devemos preocupar por coisa alguma e, muito menos, permitir que a nossa paz seja tirada por não sabermos o que nos reserva o futuro. Porém, atenção, com isto não digo que devemos abrir mão da responsabilidade de viver digna e correctamente (em todas as áreas), mas que devemos largar o fardo pesado de querer controlar aquilo que Deus quer transformar.

Em suma, a história é dEle, onde tudo é sobre Ele e para Ele. Acreditem, quando entendermos isto, as pessoas irão ver o que Ele fez em nós. Porque, no final de contas, a história a ser contada não é sobre nós, mas a acção é em nós.

Texto base: Romanos 11:36


   Ana Margarida, 23 anos e mora em Portugal. Formada em Ciência Política e Relações Internacionais. Escritora por vocação e paixão. Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Vamos trocar ideias ;)

Instagram