LENDO CONTOS | Baleia, de Graciliano Ramos


“A cachorra Baleia estava para morrer.”

Baleia deu origem ao romance “Vidas Secas”, uma das obras mais famosas de Graciliano Ramos. O início destacado acima é magistral. Poucos autores conseguem lançar, nas primeiras linhas ou parágrafos, diante do leitor, um resumo instigante daquilo que será a obra. A cachorra estava para morrer, o conto é isso, está tudo nessa frase.

O enredo acontece em torno de um seio familiar: homem, mulher e filhos. Numa narrativa forte e visceral. A partir da agonia do animal o autor nos expõe a diversas formas de sofrimento. Dor, pobreza, doença, desamparo... É desconfortável como a partir da descrição minuciosa do que está se passando com a cachorra vamos, não só sabendo, mas sentindo tudo aquilo, e assim, sem querer, enxergando uma humanidade no bicho; chegando ao ponto em que não sabemos se concordamos ou não com Fabiano. O que você faria no lugar dele?

A reação (e dor) das crianças e principalmente a postura ambígua da mulher retratam algo muito interessante sobre a natureza humana. Elas por serem descritas em algum momento como em situação tão deplorável quanto à cachorra (“...as crianças se espojariam com ela, rolariam com ela num pátio enorme, num chiqueiro enorme.”) e por tentarem evitar o mal muito provavelmente pela incapacidade de compreenderem a realidade naquele momento (e não por mera bondade). E a mulher, a esposa de Fabiano, por resolver seu problema interno transferindo a total responsabilidade do ato em que ela é cúmplice para o outro, como dizemos algumas vezes na vida “ele sabe o que está fazendo” “não vou me preocupar... ela sabe o que está fazendo”; chegando até a depreciar a cachorra no caso, para ganhar um argumento verbal contra sua própria incoerência.

Ela também tinha o coração pesado, mas resignava-se: naturalmente a decisão de Fabiano era necessária e justa. Pobre da Baleia.

Escrevendo sobre esse conto, não me deixa de passar na mente, o quão aleatório, e soltos são esses comentários. Tenho certeza que uma análise de um estudioso do Graciliano ou mesmo da própria literatura passaria longe desses pontos. Como também seria completamente diferente, a "análise" de alguém que perdeu seu cachorrinho a pouco tempo. E por isso mesmo não deixo de me sorrir, pois a leitura é unicamente dependente de um escritor e um leitor, de alguém que escreva e alguém que leia; podendo entre essas duas pontas acontecer milhares de interpretações diferentes sem nenhuma obrigação de ser isso ou aquilo. E quem discordar... tudo bem :)

***
+info: Baleia | Autor: Graciliano Ramos (1892-1953) | Edição lida: Os cem melhores contos brasileiros do século; Rio de Janeiro: Objetiva, 2001

Classificação: 3/5

Leia grátis: aqui

Compre na Amazon>>

   
  Alcançada pela Graça de Deus em Jesus Cristo. Nasceu em São Paulo, mas ama morar em BH. Formada em Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria pela PUC/MG e escreve desde que se entende por gente. Café ♥ Livros ♥ Sboob | Twitter | Listography

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Vamos trocar ideias ;)

Instagram