Perseverança: A esperança


Chegámos ao fim desta sequela. E, para terminar, gostaria de desenrolar melhor o que de facto é a perseverança.

Esta palavra remete-me sempre à situações onde mal se consegue ver uma luz ao fundo do túnel, a acontecimentos fora do nosso alcance para resolvê-los. Vou dar-vos um exemplo: Quem nunca teve que se sujeitar a certas palavras desagradáveis de alguém para manter o seu carácter intocável? Quem de nós, nunca engoliu “sapos” a seco? Pois é…, a muito custo e tentando ao máximo manter o domínio próprio.

O ser humano nem faz ideia do quão colocado à prova é quando está perante situações como estas em que não pode, de modo algum, rebater a situação. Seja por questões de ética, moral ou religião. Seja o que for, é um ataque à nossa integridade suportar afrontas ou acontecimentos inusitados. Mas, a perseverança ensina-me sobre algo que nos induz a ser constantes. Constantes, firmes nas nossas atitudes, na nossa índole, nas nossas normas, etc. e, creio que, sendo fiéis a nós mesmos nessas situações mais complicadas, iremos sempre aprender um pouco mais sobre nós e de como evoluímos (sem nos darmos conta disso). Com isto, quero afirmar que através da nossa perseverança, através da nossa firmeza, é produzida em nós esperança e essa esperança nos levará a uma maior experiência na vida (Romanos 5:3-5).

Assim, tenho plena consciência que essa perseverança que nos é pedida, revelará a esperança que arderá nos nossos corações, nas nossas almas. E, por sua vez, nos dará experiência, amadurecimento racional e espiritual.

O tempo está a demorar a passar? A espera é insuportável? Custa manter a postura e tentar continuar a ser perseverante? Sim, eu acredito que sim! Mas, tenhamos na nossa mente que tudo terá o seu propósito. Algo que, o próprio Deus nos quer preparar para recebermos. Sabem… nesta minha caminhada tenho me apercebido que há cada vez mais as pessoas estão preocupadas apenas com os resultados. Somos catalogados apenas pelo que alcançamos; ninguém quer saber o que nos custou mantermo-nos fiéis para que tal coisa fosse conquistada; ninguém quer saber da versão melhor que nos tornamos durante o processo.

Por isso, sabendo que tudo tem uma razão de ser, creio que tudo acontece para benefício do nosso crescimento e o nosso carácter pode ser melhorado ou pode manter-se mais forte. Deste modo, finalizo com o versículo 4 de Tiago 1: «Ora, a perseverança deve ter acção completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.»

Sejamos participantes do tempo, que possamos saber esperar… sejamos, em tudo, perseverantes no caminho que nos conduzirá ao alvo da nossa esperança: a vida eterna com Cristo.

⧫ Imagem: Canva


 Ana Margarida, 23 anos e mora em Portugal. Formada em Ciência Política e Relações Internacionais. Escritora por vocação e paixão. Instagram

Instagram