LENDO CONTOS | As mãos de meu filho, de Érico Veríssimo


As mãos de meu filho de Érico Veríssimo é o terceiro conto do meu projeto 12 contos para 2018, e já começo dizendo que não gostei muito da experiência de leitura. Eis um pouco do enredo:

Gilberto está sentado em seu piano tocando músicas clássicas no que parece um concerto. Entre a plateia estão seus pais, que por não estarem familiarizados com aquele tipo de música acabam se distraindo e deixando-se levar pelas memórias que aquela cena do filho adulto evocam. Margarida, a mãe, rememora como lhe foi difícil criar o Bentinho quase sozinha; dos trabalhos pesados, dos episódios com o seu marido bêbado... Depois, o foco recai sobre os pensamentos de Inocêncio, o marido e pai, que lida naquele momento com o seu remorso de não ter contribuído em nada para que o filho chegasse ao patamar (ascensão financeira, intelectual...) que está.

A nossa atenção é disputada entre o filho do presente, a mãe rememorando o passado, e o pai angustiado. Toda uma dramatização para um arremate, meio imprevisível, como é característico da maioria dos contos e que dá significado ao título.

A sensação que eu tive ao ler esse conto foi que o escritor ao invés de caneta e papel (se fosse hoje, Word rs), portava uma câmera nas mãos, ora filmando o palco, ora a plateia; entremeando as cenas do presente com flashbacks. Quanto a essa habilidade narrativa, que não deve ser fácil de executar, tenho que admitir é um conto interessante. Porém, o drama familiar que deve ser universal: do pai bêbado e a mãe batalhadora, do filho criado com dificuldade que se dá muito bem na vida... não me convenceu. E aqui eu arrisco a dizer que o problema está nas poucas páginas do conto, pois creio que se o mesmo drama tivesse sido explorado em um romance (uma narrativa longa), me agradaria mais – considerando o espaço para a construção dos personagens, desenvolvimento do drama, cenários etc.

Importante dizer que esse conto está na antologia da Editora Objetiva, intitulada Cem Melhores Contos Brasileiros, que alias é a edição que eu tenho utilizado para ler a maioria dos contos do projeto. E que portanto, é considerado pelos críticos um ótimo conto.

Concluindo, apesar de reconhecer a habilidade narrativa, eu não gostei. Resta-me conferir um romance do Veríssimo para ver se simpatizo mais. Inclusive se você já leu alguma obra dele e quiser recomendar, é só deixar o título nos comentários.


***
+info: Título: As mãos de meu filho | Autor: Érico Verissimo (1905-1975) | Edição lida: Os cem melhores contos brasileiros do século; Rio de Janeiro: Objetiva, 2001

Classificação: 3/5

Compre na Amazon>>


 
 Kelly Oliveira. Alcançada pela Graça de Deus em Jesus Cristo. Nasceu em São Paulo, mas ama morar em BH. Formada em Ciências Contábeis pela PUC/MG e escreve desde que se entende por gente. Café ♥ Livros ♥ Sboob | Twitter | Listography

Instagram