Perseverança: A espera


«Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento» (II Pedro 3:9). Ora, aqui está um assunto complicado: esperar. Confesso que passei umas boas horas sem saber o que escrever neste tópico, pois trata-se de algo que ainda me faltava (e ainda falta) muito para aprender ou para me disciplinar. E, quando finalmente me senti preparada para continuar a escrever, deparei-me com uma música pertinente para o assunto (Esperar é caminhar, Marcos Almeida) que tocava no Spotify. Esta música fala de como tratamos o «esperar em Deus» segundo as nossas expectativas, como achamos que as coisas irão ocorrer como e quando queremos. E, sinceramente, quão ingênuos somos nesse aspecto. Porém, pior que ser ingênuos é o facto de querermos desistir e entregar os pontos porque não vemos nada se mover a nosso favor.

Mas por agora, foquemo-nos no texto acima mencionado. Eu creio que de maneira nenhuma, Deus nos colocaria neste mundo sem um propósito e sem querer dar um sentido à nossa caminhada. Eu acredito que Ele tem planos para cada um de nós; planos que foram escritos mesmo antes de chegarmos a esse mundo (Salmo 139:16) e que nenhum deles será frustrado (Jó 42:2). Então, eu prefiro que seja Ele a guiar os meus passos, embora eu saiba que esse caminho estreito por vezes será muito doloroso. Sei que, maior que a dor, é a alegria eterna que me está proposta.

Acredito, também, que Ele é o mais interessado em estar perto. Ele não é Deus distante, pelo contrário! O que acontece por vezes é que nós é que ficamos distantes porque nos deixamos levar por coisas que não sabemos lidar, ou por coisas que nos distraem. Todavia, Ele é longânimo conosco, de modo que não nos quer perder! Anseia que possamos reconhecer o nosso erro, reconhecer as nossas falhas, reconhecer que somos dependentes Dele. O Senhor deseja que tenhamos um arrependimento sincero. Que nos arrependamos de tudo o que já fizemos e fazemos de errado, e que nos arrependamos pelas vezes que não sabemos sossegar e esperar Nele.

Eu sei o quão difícil é esperar. É desesperante e exasperante. Contudo, para finalizar, eu deparo-me com o seguinte: Jesus soube esperar pelo tempo certo de começar a Sua obra (João 2:4). Se até o próprio Salvador, sendo o Filho de Deus, esperou pelo tempo oportuno, quem somos nós para querer acelerar o processo? Não seria mais razoável da nossa parte abraçar a preparação que existe por trás dessa espera?

Que o Senhor traga aos nossos corações o arrependimento por querermos acelerar as coisas, por não aceitarmos a preparação que Ele nos quer dar. Que possamos nos arrepender pelas vezes que não queremos esperar, pois – atrevo-me a dizer – ao querermos acelerar as coisas, estamos a querer dar o “nosso jeitinho” e a duvidar daquilo que o Senhor pode fazer por nós. Perseverar requer tempo e requer tempo de espera. Mas, não façamos dessa espera uma auto-comiseração e sim uma preparação, uma preparação para a vida eterna.

Texto base: II Pedro 3:8-9
Crédito imagem


 Ana Margarida, 23 anos e mora em Portugal. Formada em Ciência Política e Relações Internacionais. Escritora por vocação e paixão. Instagram

Instagram