EU LI | Vencendo Medos e Ansiedades, de Elyse Fitzpatrick


Quando comecei a leitura desse livro não imaginava o quanto ela seria importante para minha vida nesse momento. A verdade é que os livros sempre conversam conosco, e quando digo conversam, me refiro aquele diálogo interno, mudo, intenso e solitário – tão necessário. Porém alguns deles acabam fazendo isso melhor que outros, seja porque chegam no momento certo, seja por nos pegarem desprevenidos, seja por serem incríveis mesmo.

Vencendo Medos e Ansiedades foi um desses, e mesmo se me esforçar não há como eu explicar bem isso, porque como eu disse o diálogo é mudo e solitário, mas vejamos para onde esse texto irá me (nos) levar. Antes de continuar, porém, é importante pela subjetividade e delicadeza do tema enfatizar que essas são impressões pessoais; portanto, sinta-se a vontade para discordar do exposto aqui tanto em relação ao livro como aos temas envolvidos.

Medo do futuro

Uma das primeiras coisas que Elyse Fitzpatrick faz no livro é conceituar a palavra ansiedade como “medo do futuro”, ou seja, ansiedade é medo. Eu não sei para quantas pessoas essa conceituação irá clarear de repente as coisas, mas para mim foi exatamente isso o que ocorreu. Acontece que ansiedade (e ou medo) é uma coisa que se sente e não que se pensa sobre - ao menos de imediato. O que autora sugere então é, “Ok eu sei o que você sente, eu também sinto, mas pare por um momento para analisar isso”. E aí vem outra esclarecedora conceituação: Fisicamente, o medo é uma reação ao perigo percebido.

Amorosamente Deus nos criou com a capacidade de respondermos rapidamente a situações de perigo. Basta imaginar o que acontece quando por algum descuido você encosta um dedo em um ferro quente ou dirigindo a 100KM/h você vê um obstáculo adiante. O nosso corpo reage. Glória a Deus por isso!

O problema é quando o perigo percebido é irreal, algo que eu imagino que pode acontecer criando todas as cenas daquilo na minha mente (a morte de alguém da família, a perca do emprego, uma doença, um acidente, uma briga...); e meu corpo reage do mesmo jeito, com as mesmas sensações de alerta ao que teria com um perigo real, só que prolongadamente, já que o perigo imaginário pode nunca sair da minha mente, eis então o que é a ansiedade meus leitores: uma sensação de medo dolorosamente prolongada.

Como disse essas conceituações foram muito esclarecedoras, todavia e ainda bem a autora não parou por aqui. Com uma escrita simples e fluída, voltada para as mulheres, ela segue  - sem tentar ensinar um método ou apelar para a identificação feminina - para uma exposição das possíveis raízes de nossos medos, quais sejam resumidamente:

Desejo de controlar
Desejo de agradar pessoas
Desejo de ser perfeita

Cada capítulo que ia avançando sentia as faces da minha alma corarem de vergonha ao perceber ser descoberta. Constatar que as raízes dos meus temores são realmente essas e outras igualmente constrangedoras – e pecaminosas.

Eu imagino que algumas leitoras possam ficar incomodadas com os argumentos de Elyse, mas já adianto que a escrita dela apesar de direta é bem doce. Mesmo para aquelas mulheres que não têm uma cosmovisão cristã será difícil permanecer indiferente à sabedoria e delicadeza com que os temas foram tratados. O que ela faz o tempo todo é nos ajudar a entender o real problema, que está muito além das sensações físicas da ansiedade. E que não precisamos lidar com isso tudo sozinhas.

“Deus realmente se importa com você”

Essa frase é o título de um dos capítulos e representa muito bem o tom do livro. Não devemos mascarar nossos temores fingindo não existirem, precisamos lidar com eles, o que na grande maioria das vezes seremos incapazes de fazer. Então, "Olhe para Cristo" é o que Elyse enfatiza:

[Desejo de controlar]
Ele tem o controle de todo o universo, e isso incluí TODA SUA VIDA (família, cidade, emprego, igreja...)

[Desejo de agradar pessoas]
Pessoas são SÓ PESSOAS, se preocupe em agradar a Ele que é compassivo e misericordioso, digno de toda honra e Glória.

[Desejo de ser perfeita]
Você jamais será perfeita nessa Terra, e Ele (O Perfeito) não espera isso de você.

Lembrando que toda vez que voltarmos a Cristo, isso implica que os nossos joelhos estejam dobrados e nossos corações arrependidos.

*

Sem me prolongar mais, esse livro foi uma grata surpresa. Tive a sensação de realmente crescer um pouco em graça e conhecimento durante a leitura. A autora com certeza me ganhou como leitora com apenas esse primeiro contato. Aos leitores homens que se interessarem pelo tema, todos os exemplos e aplicações do livro são voltados para as mulheres, porém caso isso não o incomode acho que vocês podem tirar algum proveito sim, nem que seja por uma leitura dinâmica (de alguns trechos e capítulos esparsos).

Nossos medos são como correntes em volta de nossos corações – eles nos paralisam, prendem e escravizam. Mas Jesus Cristo é a chave que pode banir todos os seus medos e libertá-la. Ele é capaz de fazer isso porque o amor dele é mais poderoso do que os seus medos. (pg.15)



***
+ Info: Título: Vencendo Medos e Ansiedades | Autora: Elyse Fitzpatrick | Ano primeira publicação: EUA, 2001 | Editora: Fiel, 2015 | 288 páginas | Catalogação: Não ficção; Mulher Cristã; Medo

Classificação: 5/5
Compre: Amazon
Skoob: aqui



 
 Kelly Oliveira. Alcançada pela Graça de Deus em Jesus Cristo. Nasceu em São Paulo, mas ama morar em BH. Formada em Ciências Contábeis pela PUC/MG e escreve desde que se entende por gente. Café ♥ Livros ♥

Instagram