Leituras de janeiro 2018


Mesmo antes de janeiro terminar e chegar o momento de escrever essa coluna eu já sabia que iria mudar o seu formato. Claro que separar tudo por tópicos é bem mais fácil do que escrever um texto, mas as únicas opções que vejo agora é me aventurar em um texto ou extinguir a coluna. Então aqui vou eu tentando encontrar uma maneira confortável de compartilhar um pouco da minha vida literária.

LER MAIS DE UM LIVRO POR VEZ é a minha maneira de ler, é como a coisa funciona para mim e foi assim que virei meu ano: com muitas leituras em andamento/inacabadas. O que à primeira vista pode parecer confuso, mas garanto que tudo se resolve. Antes do dia 05/01 já tinha abandonado uns dois e finalizado a leitura de Como encontrar seu estilo de escrever (Francisco Castro), mais um livro sobre escrita ou mais formalmente teoria literária, o assunto do momento para mim, com direito a muitos grifos, anotações e o efeito incrível de extensão “quando um livro chama outro livro”.

Francisco Castro me levou direto para as páginas de O coração das trevas quando repetidamente elogiava o estilo de Josef Conrad, não tive como evitar, precisava conferir isso de perto e não me desiludi, Conrad tem mesmo uma narrativa incrivelmente envolvente e psicológica. E garanto que esse clássico me surpreendeu não só pela narrativa, mas por todo o seu contexto histórico de escravidão, colonialismo e depravação humana (comento mais em outro texto).

Em seguida, terminei a leitura do segundo volume da trilogia Para Salvar uma Vida (Bvbooks), que me divertiu bastante apesar de muitos pesares. É o primeiro livro que eu me lembro de gostar mais dos personagens coadjuvantes que dos principais, e não sei dizer se isso é bom ou ruim.


Terminei o mês lendo o livro bíblico de Deuteronômio, uma jornada muito interessante. Fui confrontada, exortada, consolada, edificada... Essa leitura me esclareceu algumas coisas sobre o povo escolhido, a pessoa de Moisés e o próprio Deus. Foi através dela também que entendi os pares relacionados: “obediência e amor”  “desobediência e idolatria"


ESTOU LENDO o livro bíblico de Eclesiastes, a autobiografia do Stefan Zweig "O mundo de ontem",   Inferno: o mundo em guerra 1939-1945 e O poder dos quietos - em uma leitura compartilhada com a Dafne do Sonhos e Suspiros :)

Se tudo der certo vai ter post de impressões de leitura para todos os livros lidos ;)





⧫ Imagem cabeçalho: vetor personalizado da Vecteezy


Facebook | Google+ | Instagram | Skoob | Listography


Instagram