Sobre as metas de 2017


[Por que gostamos tanto de listas?]

Mesmo antes de ter o blog, as listas e metas sempre foram meu conteúdo preferido no universo literário da internet. Gosto de conferir as intenções de leitura das pessoas e acompanhar as modificações (na maioria dos casos) no decorrer do tempo. É nessas listas que descubro quais são os livros considerados verdadeiros desafios, e como alguns deles realmente são difíceis de ler (já que alguns títulos como Moby Dick por exemplo, sempre estão em ambas as listas de "quero ler" e "abandonei")

Claro que eu também faço as minhas, além de divertido considero essa uma mania inevitável para quem tem o hábito da leitura, ainda que sempre levo na brincadeira mesmo, pois como eu disse aqui mais importante que cumprir as listas é ler o que realmente nos interessa naquele momento e sabemos que isso varia bastante.

Bom, esse post é para relembrar os livros que estipulei como meta em 2017 e verificar o resultado. São eles:

1 - Quatro Amores, de C.S.Lewis
2 - Discipulado, de Dietrich Bonhoeffer
3 - A mente de Cristo, de Norma Braga Venâncio
4 - Esposa Excelente, de Martha Peace
5 - Simplesmente Crente, de M.Horton >>lido<<
6 - Os miseráveis, de Victor Hugo
7 - Jane Eyre, de Charlotte Brontë
8 - Persuasão, de Jane Auten
9 - Kafka, de Gérard-Georges Lemaire >>lido<< 
10 - Baú de Ossos, de Pedro Nava >>lido<<

Como percebido dos dez livros li três rsrs. Minhas intenções de leitura mudaram bastante durante o ano devido dentre outras razões, projetos pessoais que exigiram leituras que chamaram outras e outras...

Iniciar o projeto por Baú de Ossos também não ajudou, demorei admitir que o ritmo dele era lento (e que iria demorar para terminar) por isso, acabei lendo o segundo da lista, Simplesmente Crente, só em abril e Kafka só em julho, que também foi uma leitura arrastada (só que nesse último caso não gostei do livro). Lembro-me também que lá em meados de maio eu estava com a mente um pouco cansada e procurei por leituras mais leves o que não é o caso de nenhum título da lista, período que se prolongou um pouco. Cheguei a iniciar Os miseráveis, porém abandonei porque não estava conseguindo imergir na leitura, apesar de reconhecer pelos 10% que li que se trata de um livraço. Enfim, eis aí um pouquinho da minha jornada literária de 2017.

Pretendo ler com certeza os sete que ficaram na reserva, destacando Os quatro amores, que já é o segundo ano consecutivo que aparece como "não lido".

*

Gostaria de aproveitar também e comentar o status do projeto A lista de Richard Foster. Não li nenhum livro da lista em 2017, mas adquiri: 

- O Diário de John Wesley  

- O Discipulado (Bonhoeffer) 

- As Moradas do Castelo Interior (Teresa D´Ávila)

Que provavelmente serão as minhas próximas leituras do projeto (anteriormente denominado desafio).

Instagram