Novos na estante #8


As fotos desse post não estão nada boas, eu sei, mas só vi isso quando passei os arquivos para o computador, como eu não vou tirar esses livros da estante de novo e nem esperar uma boa luz para as fotos, ficarão essas mesmo :)

Segue as minhas últimas aquisições de livros físicos:

*para comprar qualquer um dos livros clique nos títulos 


Ego, de Timothy Keller (Vida Nova)
Faz muito tempo que eu desejava comprar esse livro ou livreto (já que é bem curtinho). O autor é muito elogiado pelos leitores e perdi as contas de quantas indicações já vi do livro por aí.

Sinopse skoob: Neste livro contundente, Timothy Keller mostra que a humildade que brota do evangelho torna possível pararmos de vincular cada experiência e cada conversa com a nossa história e com quem somos. E assim podemos ficar libertos da autocondenação. Quem é realmente humilde segundo o evangelho não se odeia, mas também não se ama...é, antes, alguém que esquece de si mesmo.

*


O poder dos Quietos, Susan Cain (Agir)
Parece um livro de auto ajuda, não tenho certeza, o que sei é que desde que li uma resenha sobre ele em um blog (atualmente desativado) não esqueci mais o título e o que foi dito sobre ele. Eu consegui o livro através de uma troca no skoob e pretendo ler em breve. Uma bela demonstração do poder de influência de opiniões sobre livros na internet, se não fosse o texto daquele blog eu talvez jamais me interessaria...


Sinopse Skoob: O que Albert Einstein, Barack Obama, Chopin, Steven Spielberg, J. K. Rowling e Bill Gates têm em comum? A resposta é o sucesso, e a introversão. Pelo menos um terço das pessoas que nós conhecemos são introvertidas. Eles são aqueles que preferem escutar a falar, ler a ir a festas; que inovam e criam, mas não gostam de autopromoção; que se beneficiam trabalhando por conta própria mais do que em grupo. Embora sejam rotulados de quietos, é aos introvertidos que devemos muitas das grandes contribuições à sociedade. Com argumentos cativantes, uma pesquisa extensa e cheio de inesquecíveis histórias reais, O poder dos quietos mostra como os introvertidos são subvalorizados, e como todos perdem com isso. Partindo da ascensão do ideal de extroversão no século XX, Susan Cain questiona os valores dominantes no mundo empresarial de hoje, no qual a colaboração forçada pode bloquear o caminho da inovação e no qual o potencial de liderança dos introvertidos é frequentemente negligenciado. De modo inspirador, a autora nos apresenta histórias de introvertidos de sucesso e oferece inestimáveis conselhos sobre como os tímidos podem tirar vantagem das suas características. 

*



A guerra Santa, de John Buyan (Ágape)
Li esse livro na adolescência, sob o título da tradução da época "As guerras da famosa cidade da alma humana" (que prefiro inclusive). Quando vi essa nova edição no blog do Bruno nem acreditei, pois pelo que pesquisei já fazia um tempo que a obra estava esgotada no mercado. Amei esse trabalho interno da capa :)

Sinopse skoob: John Bunyan faz uma alegoria da Vida Cristã com uma cidade medieval, sujeita a ataques do inimigo e ao resgate do seu Rei. Considerada depois de "O Peregrino", a melhor alegoria religiosa já escrita. Através dela o leitor se verá em meio a uma batalha entre o bem eo mal, travada dentro dos muros da grande cidade de Almahumana. Nesta obra de reconhecido valor literário, Bunyan emociona e emotiva, provoca e reflexão e nos leva à contemplação dos mistérios da fé cristã.

*




Balão Cativo, de Pedro Nava (Companhia das Letras)
Eis o segundo volume das memórias de Pedro Nava. O livro é lindo! Estou ansiosa para começar.

Sinopse skoob: Segundo volume das memórias de Pedro Nava, Balão Cativo compreende o período entre o retorno para Minas Gerais após a morte do pai e o internato no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Após o verdadeiro tour de force histórico e genealógico de Baú de Ossos, Pedro Nava aborda em Balão Cativo os anos decisivos do final da infância e a adolescência, divididos entre Juiz de Fora, Belo Horizonte e o Rio de Janeiro. Ocorrida quando o autor tinha oito anos de idade, a morte do pai é o marco inicial das lembranças de Nava sobre aquele período. Até então residente no Rio, para onde se mudara em busca das benesses da prosperidade e da civilização, a família - agora reduzida à mãe, Diva Jaguaribe Nava, e seus cinco filhos pequenos - viu-se obrigada a retornar para Minas, onde as paredes, janelas e árvores da casa de Inhá Luísa, a implacável avó materna, testemunharam os últimos anos da infância do autor. Aos 11 anos, Nava abandona a educação mais ou menos informal que até então vinha recebendo para matricular-se no recém-inaugurado internato do Ginásio Anglo-Brasileiro, em Belo Horizonte. O autor havia se transferido para a capital mineira em 1913, novamente na companhia da mãe e dos irmãos. Em 1916, já adolescente, retorna ao Rio de Janeiro, onde inicialmente se hospeda na casa de parentes antes de ser admitido no internato do Colégio Pedro II, um dos mais tradicionais do país. A descoberta do sexo e da literatura, a amizade marcante dos novos colegas e o dia a dia vibrante do Rio antigo são os motivos condutores desta narrativa autobiográfica baseada, como a obra monumental de Marcel Proust, nas múltiplas metamorfoses da memória. 

*



A Jornada do Escritor, de Christopher Vogler (Aleph)
Comprei esse livro para seguir com os meus estudos de teoria literária. Não conheço o autor, mas vi várias indicações a respeito dele, vamos ver!

Sinopse skoob: Em 1949, no clássico O herói de mil faces, o estudioso Joseph Campbell conceituou a chamada Jornada do Herói: uma estrutura presente nos mitos e replicada em todas as boas histórias já contadas e recontadas pela humanidade. Em A Jornada do Escritor, Christopher Vogler faz uma detalhada e esclarecedora análise desse conceito, tomando como base diversos filmes importantes. Resultado de anos de estudo sobre mitos e arquétipos, somados à experiência de Vogler na indústria cinematográfica norte-americana, esta edição, revisada pelo autor, é uma obra de referência fundamental não apenas para quem deseja escrever boas histórias – bebendo da fonte dos mais belos e fascinantes mitos já criados pela mente humana –, como para quem quer entendê-las melhor, relacionando-as à própria vida.

***

Conhece ou já leu algum desses livros?




Facebook | Google+ | Instagram | Skoob | Listography


Instagram