EU LI | Em defesa de Cristo, de Lee Strobel


[Aquele que eu li em janeiro e resolvi escrever só agora]

Inspirada pelo Rudi do(s) Hiattos [😄] resolvi publicar minhas impressões desse livro, que li em janeiro e cheguei até fazer uns rascunhos de texto, mas não publiquei no blog.

Em defesa de Cristo ou The case for Christ, foi escrito pelo jornalista americano Lee Strobel em 1998; é um best-seller (ou está perto disso) com milhões de cópias vendidas, e penso que até por isso eu não tinha grandes expectativas a respeito dele – sou meio cismada com best-sellers – entretanto, a leitura me surpreendeu positivamente.

VOCÊ JÁ CONVERSOU COM UM ATEU OU CÉTICO?

Se sim, você já deve ter ouvido perguntas como essas, que muitas vezes são feitas, na intenção de passar uma ideia preconcebida da impossibilidade da fundamentação racional e lógica do Cristianismo, mas isso não é verdade.

Jesus Cristo de fato existiu? E se ele existiu...

Os evangelhos são fontes confiáveis a respeito do que ele "fez" e "falou"?

Ele morreu mesmo na cruz?

E quanto à ressurreição, não será simplesmente uma lenda?

Existe alguma evidência na história sobre Cristo além dos evangelhos?


Lee Strobel (1952- ) se propõe nesse livro a demonstrar exatamente isso. Ele conta como por muitos anos foi um ateu convicto, e como após a conversão de sua esposa resolveu colocar o seu preconceito de lado e investigar minuciosamente às origens do cristianismo.

Utilizando-se de sua experiência como jornalista investigativo na área legal, ele partiu em busca da verdade lendo pela primeira vez a Bíblia versículo por versículo, lendo também muitos livros de autores cristãos e não cristãos, entrevistando especialistas de várias áreas (história, arqueologia, literatura antiga, medicina, filosofia, psicologia...), chegando por fim ao que não esperava: fortes evidências da veracidade do Cristianismo.

O livro é dividido em 3 partes principais, em cada começo de capítulo o autor traz uma entrevista com um especialista diferente, tornando a leitura dinâmica e muito rica em informações a respeito do assunto.

A primeira parte é dedicada aos evangelhos. Considerados como as melhores fontes a respeito da vida de Jesus Cristo, os quatro evangelhos são colocados no centro da pesquisa de Strobel. O resultado é fantástico, muitos argumentos falaciosos a cerca deles são desmontados facilmente.

Na segunda, ele foca sobre a pessoa de Jesus Cristo. Dentre os vários aspectos interessantes tratados nessa parte, há uma breve explanação (no capítulo 10) sobre as inúmeras profecias do antigo testamento acerca do Messias esperado e a impossibilidade do cumprimento delas em um ser humano. Jesus possui todas as chamadas "provas digitais" ou marcas dessas profecias – é uma das muitas horas da leitura que eu comecei a glorificar a Deus.

Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! (Romanos 11:33 - NVI)

Na terceira, entendendo que a ressurreição de Cristo é o maior milagre “operado por Deus” em toda a história da humanidade e coluna principal de toda crença cristã – se Jesus não ressuscitou dos mortos o evangelho é uma farsa – ele trabalha os vários argumentos dos céticos derrubando um a um de maneira sensacional.

Por fim o autor relata como depois de sua longa pesquisa ele se rendeu aos pés de Cristo, não só pelas evidências puramente racionais, mas, porque nessa jornada ele foi tocado pelo Espírito de Deus – quem pode resisti-lo? – e termina encurralando o leitor no seguinte pensamento: Não há brechas quanto ao cristianismo para ficar em cima do muro... o que está em jogo é valioso demais (a eternidade) para brincadeiras ou argumentos infundados. Se é para crer ou não crer, precisamos saber bem o porquê de nossa posição.

Ter um relacionamento com Jesus Cristo é mais do que saber os fatos históricos a seu respeito, embora nosso amor por ele também esteja alicerçado nesses fatos. (pg. 166)

PARA CRENTES E CÉTICOS

Como já expliquei no início, estou publicando esse texto vários meses após a leitura, os detalhes já se perderam, porém, a mensagem central do livro continua viva em minha mente: Um homem como nenhum outro jamais visto, nasceu, viveu e morreu entre os judeus a dois mil anos atrás. Após a sua morte, os seus discípulos e quase 500 pessoas disseram o terem visto ressuscitado e enfrentaram até a morte por causa dessa convicção. Esse homem mudou o seu mundo enquanto vivo, abalou todo o globo após a sua morte e sua influência é inegável até os dias de hoje (2017dc). Os seus opositores por mais furiosos ao longo da história jamais foram capazes de refutar a sua existência (vida, morte e ressurreição), e nunca foram capazes de exterminar dentre os povos os seus seguidores.
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade" (João 1:14 - Almeida Corrigida)

Esse livro não relata uma experiência subjetiva de fé, o autor mostra as evidências dos fatos que aconteceram e marcaram a história, em outras palavras, como o Cristianismo a-ba-lou a humanidade para sempre. Recomendo a todos, é um livro que faze-nos pensar (repetindo, tanto para crer, como para não crer, precisamos estar baseados em fundamentos sólidos e não em achismos ou levados pelo pensamento da maioria).

... há pessoas que morrem por suas convicções religiosas se crerem sinceramente que são verdadeiras, mas ninguém morre por convicções religiosas que sabem serem falsas. (pg. 325)


PS. Esse ano foi lançado um filme baseado nesse livro, não sei os detalhes, pois não assisti. Confira o trailer aqui ;)


***
+info: Em defesa de Cristo, de Lee Strobel / Título original: The Case for Christ, 1998 / São Paulo: Editora Vida, 2006 / 358 páginas

Classificação: 4/5

Compre: Amazon
Skoob: aqui








Instagram