EU LI #25 | Razão e Sensibilidade, de Jane Austen


Eu li Razão e Sensibilidade, uma ficção de época sobre dois importantes extremos da natureza humana, a razão e a sensibilidade.

Autora e obra
Jane Austen¹ é uma das principais escritoras inglesas de todos os tempos, ela viveu entre 1775 a 1817. Nascida em Steventon, Hampshire, filha de um pároco anglicano, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. Sense and Sensibility (Razão e Sensibilidade) foi o primeiro romance publicado pela autora em 1811, seguido de Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito) em 1813 que é a sua obra-prima e muitos outros.

Enredo
Na Inglaterra, no século XIX, as irmãs Dashwood ficam desamparadas com a morte do pai, que deixara suas propriedades em Norland Park ao seu filho do primeiro casamento. Elas mudam-se para um chalé em Devonshire, oferecido por um primo da mãe viúva, deixando para trás toda a rotina de vida confortável conhecida até ali. Elinor (a filha mais velha) e Marianne são as personagens principais, que vivem no decorrer do romance, entre altos e baixos, os dramas da juventude. Elinor veio de Norland com o coração comprometido com o jovem Edward e Marianne logo que chega ao novo lar parece encontrar um príncipe (des)encantado. A partir disso, acompanhamos os acontecimentos na vida dessas jovens rumo ao final feliz, e entre pontos e vírgulas, a crítica de Jane Austen aquela sociedade.

Dependendo das circunstâncias e do momento, uma qualificação pode ser levada muito acima de seu real valor; muitas vezes, ao contrário, pode ser rebaixada pela tendência a se considerar que nascer em berço de ouro é mais importante do que ter bom caráter. (pg. 206)

Impressões
A obra é excelente, a crítica à sociedade inglesa foi construída sob o conhecido humor irônico da autora, uma das características que mais gosto nos livros dela. Jane Austen viveu no século XIX, portanto descreve como ninguém - as casas, os costumes, as pessoas, a hipocrisia da época... - entre vestidos pomposos e carruagens, ela consegue nos dizer muito além das palavras. Outros pontos de destaque são as variações de rotinas das personagens, a história começa em Sussex, passa por Devonshire, por Londres e volta para Sussex, ampliando os contextos contidianos. A exposição da personalidade tomada pela razão e/ ou pela sensibilidade também é muito bem feita, não só com Elinor que representa a razão e Marianne que representa a sensibilidade, mas com outros personagens, como a mãe das moças e Willoughby. E por fim posso citar o amadurecimento de Marianne. Em alguns momentos pode parecer até extremas as reações da personagem e para alguns arrastado pra ler, porém pensando um pouco em qual pode ter sido o objetivo da autora, talvez querer demonstrar onde a personalidade ultrassensível pode levar uma pessoa.


Contudo acho que o livro pode não agradar alguns leitores, principalmente, se os mesmos se aventurarem a compará-lo com Orgulho e Preconceito. Penso, que a comparação é inevitável para quem já leu os dois, porém não necessária, para que não se cometa injustiça. Razão e Sensibilidade não é genial ou incrível como aquele, mas tem o seu valor literário garantido tanto quanto, por outras razões como já foram expostas e com certeza muitas mais. Minha única crítica negativa seja talvez ao desfecho de Marianne, quem já leu vai compreender, pareceu-me fugir da regra da autora de finais felizes.

É o terceiro livro que leio da autora e continuo encantada pela sua escrita. Recomendo muito para todos! Acredite não é por acaso que a obra de Jane Austen ainda é lida após 200 anos das primeiras publicações, vale a pena conferir.
★★★★★
Dificuldade: Médio


¹ Sobre Jane Auten: http://www.pedrazuleditora.com.br/autores-pg-2ced0
Imagens: Edição da editora Nova Cultura, 2003, 366p.

8 comentários:

  1. Ola
    Esse foi o primeiro livro da Jane que eu li.
    Realmente Mariane as vezes parece ser excessivamente sensível mas quem nunca teve um coração partido que atire a primeira pedra.
    Eu também não gostei muito do final de Mariane, mas acho que compreendi a intenção de Jane.
    Acredito que ela quis mostrar que nem tudo é um conto de fadas.
    E pelo menos o outro sempre esteve ali esperando por uma chance , paciente e merecia ser recompensado.
    E Mariane aprendeu a gostar dele. ..as vezes é melhor a segurança de um amor manso do que a labaredas da paixão.

    Amei a sua resenha. Vi que você já resenhou os meus outros dois preferidos de Austen.Recomendo Emma .

    Beijos
    pluguebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Babi,

      Concordo com você, o final de Marianne não é de tudo ruim... é compreensível que depois de amadurecer e com o passar do tempo ela tenha mesmo tomado aquela decisão, mas como isso acontece em poucas linhas, para nós que estamos lendo, soa insatisfatório.

      A verdade é que se tivesse uma continuação seria ótimo rsrsrs. Eu continuaria lendo a história...

      Enfim, Emma é o próximo da minha lista dos livros da autora.

      Bjim.

      Excluir
  2. Nunca li nada dela, mas pelo que vi do post, devo ler este primeiro que o Orgulho e Preconceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos,

      Eu recomendo essa ordem sim. Eu li primeiro "Orgulho e Preconceito", fiquei encantada é um dos meus livros preferidos da vida, mas ler "Razão e Sensibilidade" primeiro vai te proporcionar perceber a evolução da autora, já que esse foi publicado em 1811 e o outro, somente em 1813. Há uma evolução na construção dos personagens, enredo, crítica social entre um e outro.

      Enfim, os 2 são recomendadíssimos.

      Abs.

      Excluir
  3. Olá,
    Nunca li os livros da Jane Austen, mas sua resenha me despertou bastante curiosidade pelo livro e irei procurá-lo!
    Beijos,
    Mandy
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda! Que bom, espero que leia em breve e que goste também.

      Bjim

      Excluir
  4. É tão bom encontrar pessoas que amem a escrita da Jane Austen. <3
    Meu preferido ainda é Orgulho e Preconceito, mas... Amo todas as obras dela e... Me identifique demais com Elinor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não gostar de Jane Austen!
      Estou lendo um livro dela por ano para economizar rsrs

      Eu tb sou muito Elinor :)

      Excluir

Deixe seu comentário! Vamos trocar ideias ;)

Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.