EU LI #16 | Uma Análise Bíblica do Feminismo, de Manoel Coelho Junior


Olá! Eu li o pequeno ebook "Uma análise Bíblica do Feminismo", de Manoel Coelho Jr e achei a proposta muito interessante. É um tema polêmico, por isso exige reflexão e conhecimento, antes de tomar esse ou aquele lado. Dentre os pontos levantados pelo autor, considerei coerente sua denúncia dos falaciosos argumentos do feminismo, que pressupõe a liderança masculina como intrinsecamente má, contrapondo, com a sabedoria de Deus em dar ordem para todo o universo, inclusive nas relações humanas. Para ele o feminismo nada mais é do que o velho argumento da serpente em Gênesis 3, que tenta induzir os homens a crerem que seu caminho é melhor que o de Deus. Abaixo destaquei 5 consequências da ideologia feminista levantadas pelo autor. Reflita!


1. O FEMINISMO DESESTRUTUROU A FAMÍLIA
Imagine que um avião só pode voar perfeitamente se cada uma das partes que formam sua estrutura estiver cumprindo seu papel. Pela Bíblia vemos que a estrutura da família é assim disposta: O homem lidera com amor, a mulher se lhe submete, e os filhos lhes obedecem, sendo ensinados no caminho do Senhor por seus pais. Ora, o Feminismo atacou a estrutura da família porque tirou a mulher de seu papel de obediente auxiliadora e a colocou como rebelde contra a autoridade do marido no lar.

2. OS HOMENS NÃO SÃO MAIS LÍDERES
O homem não é mais líder. O que ele é, então? Ora, um líder deve dirigir em amor e no mesmo amor deve proteger a família. Mas o homem foi destituído de sua liderança, tornando-se agora mera “peça decorativa” que já não pode exercer o amor pela família decidindo de fato, e pouco pode fazer no mesmo amor para dar ordem quando as coisas começam a se desorientar. O homem torna-se um “bobão” que apenas olha as coisas acontecerem e nada faz, pois já ninguém lhe ouve. Ora, tirem um homem de sua liderança no lar e você o verá perdido e sem adequação alguma, pois não há como se adequar visto que lhe foi retirada a posição que lhe era própria.

3. AS CRIANÇAS PERDERAM A PRESENÇA CONSTANTE E PROTETORA DA MÃE
O Feminismo levou as mulheres a considerarem suas carreiras profissionais como uma coisa mais importante do que sua função dada por Deus na Bíblia, que é a de ser esposa e mãe. Qual o resultado? Os homens ficaram sem suas auxiliadores e as crianças perderam a presença constante e protetora da mãe. As crianças são deixadas com outras pessoas ou em outros lugares, e a educação já não pertence mais a seus pais, sendo delegada àqueles que não deveriam receber tal autoridade no lar. O resultado é perda da liberdade na orientação dos pequeninos, e consequentemente o prejuízo terrível para os mesmos, que recebem “princípios” que talvez os pais não o quisessem, de forma a que no futuro poderão dar muita “dor de cabeça” a família e sociedade.

4. DEFESA DO ABORTO
Levado ao extremo, o descompromisso com a família produzido pelo Feminismo resulta na defesa do aborto. Mães que antes eram ensinadas a defender seus filhos agora são induzidas a um suposto “direito de matar”. Aquelas que deveriam defender os filhos se voltam contra eles para matá-los ainda no ventre. Está aí o resultado trágico do descompromisso do Feminismo com a família. As feministas apregoam: “Liberdade, liberdade” e, então, “Liberdade para matar”.

5. O FEMINISMO DEIXOU A MULHER DESPROTEGIDA
Tirar o protetor de alguém jamais é fazer-lhe o bem. O Feminismo tornou os homens fracos, sem liderança. Isso foi bom para as mulheres? Evidentemente que não! A mulher segundo Pedro (1 Pedro 3: 7) é a parte mais frágil. Alguém negaria isso? Ponha um homem ao lado de uma mulher e veja quem é mais forte, e não só fisicamente, pois sabemos da delicadeza das mulheres em termos emocionais. O fato é que a mulher precisa de proteção. O Feminismo apregoou que elas precisam ser protegidas de seus maridos. Mas isso em geral é mentira. A verdade, ao contrário, é que elas precisam da proteção de seus maridos. Mas se você difama os maridos e lhes tira a autoridade quem irá protegê-las? Como estarão resguardadas se delas é tirada a força dos homens, sendo elas a parte mais frágil? Ora, criminalizar a liderança masculina foi a maior ataque contra as próprias mulheres, pois as fez entender que aquele que as protegia são os seus carrascos, deixando-as sem proteção contra os verdadeiros carrascos, isto é, bandidos, assassinos, e estupradores. Vemos que os homens foram afetados por tudo isso, e já nem mesmo defendem as mulheres de ataques verdadeiramente criminosos. Os homens se tornaram fracos e as mulheres, que de fato são a parte mais fraca, ficaram expostas.
★★★★


Texto adaptado de Manoel Coelho Junior, Ebook: Uma análise Bíblica do Feminismo, 2015; Publicado pelo website oEstandarteDeCristo.com.

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário! Vamos trocar ideias ;)

Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.