EU LI #05 | Seus dias estãos contados, de John Perritt

sábado, fevereiro 14, 2015

Sinopse: Em uma época repleta de preocupação com o lazer, o que os cristãos bíblicos devem fazer? Esta geração, talvez mais que qualquer outra antes dela, precisa de um conselho sábio sobre o uso de tempo e energia para dar glória a Deus. John Perritt despendeu muita energia considerando as questões levantadas pela cultura de hoje e o que ele escreveu aqui merece nossa atenção. Ao evitar o excesso de espiritualização e os problemas advindos do conceito distorcido da criação, Perritt nos guia ao longos dos obstáculos com habilidade. Para alguns, ele será muito brando; para outros, exigente demais ― mas isso só demonstra seu cuidado ao abordar assuntos que nos despertam paixões. Esta é uma leitura essencial para os interessados em responder à questão: Como posso glorificar a Deus na busca legítima de lazer? Recomendo este livro de todo o coração. ― Derek W. H. Thomas Reformed Theological Seminary


[Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio. (Salmos 90:12)]

Esse versículo foi para mim um alvo de prolongada meditação em 2014. O Salmo 90 escrito por Moisés como muitos outros textos da Palavra de Deus traz a tona uma grande verdade a respeito da vida humana: a brevidade da vida. Lembro-me então, que em meados de outubro o George do Vlog Geolé (quem não conhece vale a pena conferir ;) ) publicou no Facebook alguns livros que ele estava vendendo e "Seus dias estão contados" estava entre eles. Assim que li o título e subtítulo "Um exame sobre o gasto do nosso tempo e a eternidade diante de nós" lembrei-me desse versículo e fiquei super interessada. No mesmo momento entrei em contato com o George para comprar o livro, e valeu muito a pena. O livro chegou, e para minha surpresa o autor destacou exatamente esse versículo na página inicial :)

Seus dias estão contados é um livro curto de apenas 124 páginas, mas de um conteúdo prático incrível. O assunto principal do livro é o tempo. E tempo para John Perritt (e eu concordo com ele) não é dinheiro como diz o dito popular, tempo é vida! "Você pode ser a pessoa mais rica do mundo e, ainda assim, não pode comprar mais tempo. A realidade é que há um relógio correndo em algum lugar, neste momento, e é o relógio da sua vida. Neste instante, segundos que se tornam minutos, que se tornam horas, que se tornam dias, estão sendo riscados de sua vida" (pg.11). A verdade é que não temos controle sobre o tempo, e de fato "o nosso tempo não é realmente nosso, mas de Deus" (pg.11).

Quando paramos para meditar a respeito da brevidade da vida e de como desperdiçamos tempo, podemos sentir uma certa ansiedade e até angústia. John Perritt prevendo esse sentimento, ao abordar o assunto propõe um fundamento bíblico a respeito disso: só houve uma pessoa que não desperdiçou um segundo sequer da sua vida terrena, Jesus Cristo. Jesus não só morreu a nossa morte, mas viveu a vida que deveríamos viver, e isso é, uma vida que realmente glorificou a Deus. Ele redimiu o nosso tempo!

Redimir (dicionário Aurélio)  - obter novamente; isentar; libertar; resgatar; reconquistar aquilo que havia perdido; readquirir; fazer esquecer; compensar; remir 

Partindo desses pressupostos, em 3 sessões o autor analisa o assunto e sugere alguns passos práticos para contar os nossos dias e assim viver as nossas vidas com sabedoria. Na Sessão 1 Do que são feitos nossos dias, o autor focaliza-se em determinar "o que é um dia?" e ele o faz a partir da ideia do tempo, ou seja, um dia é composto de 24 horas, mas então o que é o tempo? E no discorrer de 5 capítulos ele faz-nos meditar sobre "em que" realmente consiste os nossos dias ou o nosso tempo: passatempos, objetivos triviais, muitas ocupações etc. Já na Sessão 2 Praticas bíblicas que auxiliam nossos dias, são considerados alguns conceitos bíblicos que podem nos ajudar a contar os nossos dias. Essa sessão é composta por 3 capítulos e o último deles "O som do silêncio - A necessidade da solidão e reflexão" cita um trecho que gostei muito, do livro "Vermelho como sangue", de Joe Coffey e Bob Bevington:

"Normalmente, não sou bom com a solidão. Não conheço muitas pessoas que o sejam. O problema é que estamos acostumados demais com o barulho. Temos rádios, Tvs, notebooks, celulares e iCoisas. De vez em quando, preciso me afastar e encontrar o silêncio. Venho aprendendo que o silêncio é algo que você deve procurar e que, quando finalmente encontra, pode ser quase ensurdecedor. Não pouco tempo atrás, saí em busca de silêncio. Encontrei-o em um muro de pedra. Apenas me sentei no muro respirando, olhando ao redor e, finalmente, comecei a senti-la. A angústia. Acho que o barulho impede as pessoas de senti-la. E é por causa dessa angústia que, por exemplo, não podemos nem sair para uma caminhada sem fones de ouvido disparando distração em nossos cérebros."

Finalizando, a Sessão 3 Contando seus dias na prática, John traz um lado mais prático de algumas disciplinas necessárias e inegociáveis para contar os nossos dias. De uma forma muito clara ele expõe a importância de examinar e estruturar nossas vidas na ordem: relacional, vocacional e recreativa. Não sabemos quantos dias nos restam, e essa verdade ao invés de causar-nos medo e ansiedade, deverá fazer-nos mudar o foco, mudar as nossas prioridades. Uma mentalidade constante da brevidade da vida, nos ajudará a não se deixar levar pela rotina, que faz-nos esquecer de quão preciosa a vida é. "Ter uma abordagem de dias contados ajuda-nos a manter o foco" (pg. 77).

Eu gostei muito desse livro, realmente recomendo muito essa leitura. É um exemplo clássico que um livro apesar de curto, pode sim, trazer muito conteúdo. Para quem se interessar em comprar, acesse o site da Editora aqui.

***

+info: Seus dias estão contados, de John Perritt / Monergismo, 2014 / 124 páginas

Classificação: 4/5
Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.